DCT

A DCT é uma transformada relacionada com a transformada de Fourier, similar à Discrete Fourier Transform (DFT), mas que usa somente números reais. Existem cerca de 8 variantes standard da DCT, das quais 4 são bastante comuns. A mais comum e usado em tratamento de imagem é a type-II DCT, que é normalmente designada por “a DCT”; a sua inversa, a type-III DCT e designada por “iDCT”. O olho humano é mais sensível a mudanças no brilho do que a mudanças de cromaticidade. Por isso, os dados da imagem são primeiro divididos numa componente de luminância e dois de crominância, e os componentes de crominância são sub-amostrados relativamente à componente de luminância. A DCT reduz as componentes espaciais de altas-frequências da imagem, uma vez que o observador humano é mais sensível a erros de reconstrução de componentes de baixas frequências. Ou seja a DCT permite que os dados sejam representados em termos de coeficientes de frequência dos seus componentes[2][5][7]. Como quase todas as imagens são compostas por informações de baixa frequência, os componentes de uma imagem, de frequência alta podem ser descartados. Este algoritmo opera sobre os blocos de 8×8 pixels. Os coeficientes de baixa frequência ocorrem num dos cantos da grelha de 8×8, enquanto os de alta frequência no canto oposto da grelha. Na prática o DCT não faz qualquer operação de compressão aos dados, pois as operações que realiza são sem perda de informação, mas sim prepara o terreno para os passos seguintes.

Anúncios